Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Maria Helena - A Vida depois das cartas!

As minhas outras facetas para além da profissional. Eu, como mulher, mãe e avó, abro as portas do meu mundo.

Maria Helena - A Vida depois das cartas!

As minhas outras facetas para além da profissional. Eu, como mulher, mãe e avó, abro as portas do meu mundo.

Brinde ao Dia do Trabalhador

Olá, olá!!!

 

Hoje comemoramos um dos feriados mais importantes da história portuguesa: o Dia do Trabalhador. Sabe como é que este dia começou a ganhar fama? Ora bem, o Dia do Trabalhador, Dia do Trabalho ou Dia Internacional dos Trabalhadores é celebrado anualmente no dia 1 de maio em numerosos países. No calendário litúrgico, celebra-se a memória de São José Operário, por tratar-se do santo padroeiro dos trabalhadores.

 

Reza a história que, em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos, que tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias. Teve a participação de milhares de pessoas, pelo que no dia 4 do mesmo mês uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos. A polícia abriu fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas delas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Haimarcet.

 

Três anos mais tarde, no dia 20 de junho de 1889, foi convocada anualmente uma manifestação com o objetivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o primeiro dia de maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Finalmente, a 23 de abril de 1919, o senado francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de maio como feriado. Em Portugal, só a partir de maio de 1974 (o ano da revolução do 25 de abril) é que se voltou a comemorar livremente o Primeiro de Maio e este passou a ser feriado. Durante a ditadura do Estado Novo, a comemoração dessa data era reprimida pela polícia.

 

Desta forma e, como desde os finais do século XIX a Europa via o 1º de maio como um dia de reivindicação dos trabalhadores e da luta da classe operária, a Igreja, sempre preocupada em mostrar-se perto dos seus fiéis seguidores, atribuiu a esse dia um santo protetor, o São José. Durante toda a sua vida, este santo trabalhou perseverantemente na sua carpintaria e hoje é visto como o santo operário que surgia da luz para proteger tantos outros operários.

 

IMG_3634.JPG

 

Espero ter sido útil nos meus conselhos!

Um grande beijinho,

Maria Helena